FESSERGS LAMENTA REAJUSTE DE APENAS 6% E RESPONSABILIZA GOVERNO PELO DESMANTELAMENTO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS
Data de publicação: 5 Maio 2022

A Fessergs lamenta a insensibilidade do governador Ranolfo Vieira Junior que deu um reajuste/esmola de 6% parcelado aos servidores públicos num cenário de inflação acumulada de mais de 54% nos últimos sete anos.
 

Os servidores dos padrões iniciais terão cerca de 30 reais de reajuste e muitos não terão nada, pois ele será engolido pela parcela complementar paga para alcançar o salário mínimo, afirma o presidente Sérgio Arnoud. O dirigente afirma ainda que o governo Leite/Ranolfo piorou a qualidade dos serviços públicos, com a falta de investimento e a não reposição dos funcionários que se aposentaram. Concluiu dizendo que a afirmação de que este era o reajuste possível não se sustenta, pois o governo quer doar quase quinhentos milhões ao governo federal que ESTRANGULA o Estado com a cobrança de uma dívida pública que já foi paga. 
 

Conforme o texto aprovado, o índice será de 6%, sendo 1% referente a janeiro de 2022 e 4,95% a contar de abril de 2022.


Lista dos deputados que foram contra o reajuste de 10,06%:

PTB 
Elizandro Sabino
UNIÃO BRASIL
Aloisio Classmann
Dirceu Franciscon

PP
Adolfo Brito
Ernani Polo
Frederico Antunes
Sergio Turra
Silvana Covatti
PODEMOS
Airton Lima
REPUBLICANOS
Fran Somensi
Francine Bayer
Sergio Peres

PSD
Gaúcho da Geral

MDB
Beto Fantinel
Carlos Búrigo
Gabriel Souza
Gilberto Capoani
Patrícia Alba
Vilmar Zanchin

PSDB
Zilá Breitenbach
Rodrigo Maroni
Pedro Pereira
Neri o Carteiro
Mateus Wesp
Luiz Henrique Viana

PL
Eric Lins
Kelly Moraes
Paparico Bacchi
Rodrigo Lorenzoni

CIDADANIA 
Any Ortiz

DEPUTADOS QUE SE AUSENTARAM PARA NÃO VOTAR
Luiz Marenco
Vilmar Lorenço
Tem. Coronel Zucco
Juvir Costela 
Tiago Simon
Elton Weber
Capitão Macedo


Deputados que eram contra qualquer reajuste e deram desdobre de que queriam conversar mais:
NOVO
Guiuseppe Riesgo
Fábio Ostermann


Tatiana Danieli
Jornalista Diplomada - MTB 8781