EM REUNIÃO COM ENTIDADES DEPUTADOS DEMONSTRAM CONTRARIEDADE À PROJETO DO GOVERNO
Data de publicação: 28 Nov 2019

Nesta quarta-feira, 27/11, foi realizada uma ampla reunião com deputados denominados "independentes", tanto da base aliada, como da oposição. Juliana Brizola do PDT, e os do MDB Edson Brum e Sebastião Mello debateram sobre o Pacote do governador Eduardo Leite por mais de duas horas na Sala de Convergência da Assembleia Legislativa do RS. Foi uma importante oportunidade de pressionar as bancadas, pois todos estão indecisos sobre vários aspectos e se mostraram totalmente abertos a dar apoio aos servidores, aos movimentos grevistas e às Moções de Repúdio que vereadores e prefeitos de mais de 250 municípios de todo o Estado vêm assinando CONTRA as medidas estruturais protocoladas para votação em dezembro. Estiveram presentes representantes de 32 entidades, de todas as categorias. Saúde - Sindissama Saude e SINDIPE, PGE - Sindispge/RS, segurança, com Brigada Militar (ABAMF BM, Asstbm Brigada Militar, Aofergs - Associação dos Oficiais Estaduais do RS e Bombeiros - Abergs Bombeiros Rs), IGP - Sindiperícias Rio G Sul, servidores penitenciários - Amapergs Sindicato e Apropens Tsp e Polícia Civil - Ugeirm Sindicato, municipários - Femergs, Fessergs, e três Centrais, CSB RS, representada por seu presidente regional, Sérgio Arnoud, CGTB Nacional, pelo vice-presidente do Sintergs - Sindicato dos Servidores de Nível Superior - RS, Guilherme Toniolo e a Pública, representada pelo presidente da Associação dos servidores da justiça-ASJ, Paulo Olympio.
 

Um novo encontro com os demais parlamentares está programado para ocorrer na próxima semana. Informaremos o dia, o local e a hora. A ideia é unificar ainda mais forças e não permitir que o pacote vá à votação. A luta agora é dentro da Assembleia. A força está com os servidores e com a população de todo o Rio Grande. O serviço público precisa sobreviver. Todos precisam de saúde, educação e segurança!
 


A Fessergs, uma das propositoras do encontro, reitera que não arredará um centímetro de sua postura de luta por um serviço público digno e pela manutenção dos direitos e conquistas dos servidores. Unificar forças é preciso! E o MUS RS - Movimento Unificado de Servidores foi criado em 2015 com este propósito. Unificar e levar a bandeira dos servidores e dos serviços públicos acima de tudo! No fim do encontro o presidente Arnoud lembrou que dentre todos os direitos ameaçados pelas medidas do pacote de Eduardo Leite, um deles é aviltante para qualquer trabalhador: -"Há uma medida que pretende retirar o direito à liberdade de organização sindical. Proibindo que o servidor se reúna em horário de trabalho. Quem trabalha em horário diferenciado vai se reunir quando? É uma forma de silenciar o movimento sindical e não podemos permitir isso. É uma conduta anti-sindical".