FESSERGS DEFENDE RETIRADA DA VOTAÇÃO DOS PROJETOS DO IPE EM AUDIÊNCIA NA AL
Data de publicação: 1 Nov 2017
Vice-presidente da Fessergs, Flávio Berneira, presidente do Sindissama, Márcia Elisa Trindade, diretora Eunice Bello, precatorista Dalila Gonçalves, presidente do SindCivis Ângela Quadros e dirigente da Aofergs Paulo Nunes Correa

A Fessergs, seus sindicatos filiados (Amapergs, Sindipe, Sindissama Saude, Sindet - Sindicato dos Servidores do Detran/RS, SISDAER, SindiGeral, SindCivis, Sinfers e Sinapers, e entidades apoiadoras, Asstbm Brigada Militar e Aofergs), participam nesta manhã da Audiência Pública sobre a Reestruturação do IPE no Plenarinho da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul. Todas as entidades se manifestaram pela retirada do regime de urgência da votação dos projetos que tramitam, pois no entendimento dos servidores eles irão acabar com o Instituto de Previdência do Estado. "Os servidores querem o diálogo sobre o seu Instituto. O IPE é patrimônio dos servidores e merece respeito. Seu futuro não pode ser definido do dia para a noite", afirma o vice-presidente da Fessergs, Flávio Berneira.
 
Dr. Antônio de Pádua Vargas Alves

O ex-diretor médico e atual membro do Conselho Deliberativo do IPE, Antônio de Pádua Vargas Alves, alertou em sua manifestação que no interior é o plano de saúde do Instituto de Previdência que mantém os hospitais do Sistem Único de Saúde (SUS), uma vez que muitos estão com verbas federais atrasadas. Se o IPE quebrar esses hospitais entram em colapso também.
 
Dirigentes da ASSTBM Romeu Karnikowski e Dagoberto Valteman


Ao final da Audiência foi acertada a criação de um fórum integrado por deputados e representantes de servidores para analisar as proposições do governo sobre o IPERGS.

 
Marcia Elisa Trindade, presidente do Sindissama, Bayard Bernd e Roberto Liebstein, respectivamente vice e presidente do Sindipe e diretora da Fessergs Eunice Bello


Tatiana Danieli
Jornalista Diplomada - MTB 8781

t

o

p