Nova Central reafirma protestos em 30 de junho contra Reformas
Data de publicação: 28 Jun 2017

Na abertura do seu IV Congresso em Luziânia, DF, a Nova Central Sindical de Trabalhadores reafirmou a manutenção do dia 30 de junho como dia de protestos e paralisações em todo o país, contra as reformas da Previdência e Trabalhista.
Segundo o presidente da Fessergs, Sérgio Arnoud, estas duas reformas, somadas à terceirização ilimitada e ao congelamento nos investimentos públicos vão empobrecer a sociedade brasileira e aumentar o desemprego. Diante disso, prossegue Arnoud, a situação da previdência social, que já sofre com o desemprego e a informalidade, onde mais de 20 milhões de brasileiros deixam de contribuir para o sistema, se agravará, tornando-se insustentável.

A Fessergs esteve presente no 4° Congresso Nacional da NCST em Brasília, representada por seu presidente e vice, Sérgio Arnoud e Flávio Berneira (Amapergs), pelo presidentes de sindicatos filiados, Gilberto Acosta Silveira (Sindisirga),Márcia Elisa Trindade (Sindissama) e Júlio César Lopes Pereira (SindiGeral).

Com o tema central Desenvolvimento com Justiça Social - Sem Nenhum Direito a Menos, o evento, que o encontro reuniu cerca de mil dirigentes sindicais e trabalhadores das indústrias, transportes, turismo e hospitalidade, educação e cultura e servidores públicos de todo o país.

A Fessergs estará somada às manifestações deste dia 30 de junho contra as reformas trabalhista e da previdência.

Tatiana Danieli
Jornalista  - MTB/8781

t

o

p