Aprovação da PEC 261 é mais um corte em conquistas históricas promovido por Sartori

Publicado no dia 6 Jul 2017

A aprovação da PEC 261 nesta quinta-feira na Assembleia Legislativa, que trata do chamado tempo ficto, e o cômputo dos anos trabalhados em serviço público municipal ou federal para efeitos de avanços e vantagens temporais, representa mais um corte nas conquistas históricas do funcionalismo estadual. A avaliação é do presidente da Fessergs, Sérgio Arnoud, que esteve presente durante toda a semana acompanhando as votações, juntamente com dezenas de entidades sindicais que lutam pela manutenção dos direitos dos servidores e por um serviço público digno para a população.

A negociação do PDT com o Governo Estadual resultou numa limitação mínima dos prejuízos, uma vez que esta contagem de tempo recíproca vale apenas para o tempo trabalhado até esta data. Ou seja, a partir de agora este tempo recíproco, de quem vem do serviço público municipal
ou federal contará somente para efeitos de aposentadoria. Essa alteração integra o chamado pacote de maldades do governador Sartori que tem o objetivo de desestimular o exercício da funçao pública e se insere na política deliberada de transferência dos serviços públicos para a iniciativa privada que obviamente vai cobrar por esses serviços. O objetivo final é eliminar o que resta do "estado de bem estar social", nos moldes do que
​faz Donald Trump nos Estados Unidos e Michel Temer em Brasília. 

Tatiana Danieli
Jornalista Diplomada - MTB 8781
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Porto Alegre, 21 de setembro de 2017